ANA ROSSI

Este poema fala das contradições que movem nossos atos, nossas palavras, nossas vidas, entre o aqui e o momento seguinte. Ás vezes, somos pura contradição…

Poema escrito em 29/09/2019, Brasília, DF, Brasil

dizer e desdizer…

fazer e não fazer…

diz e não diz…

vai e não vai…

parece mas não é…

é mas não parece…

o que é móvel e duro…

o fixo e o solto…

o volátil e o constante…

o duro mole…

o mole duro…

o que era… não é mais

sintomas de nós

coletiva-mente

balburdia-mente

sensacional-mente

narrativas em jogo

vamos

e sabemos que

não sabemos mais

para onde

mudanças em nós

mudanças em mim

ser e não ser… ao mesmo tempo

Ce poème parle des contradictions que meuvent nos actes, nos paroles, nos vie, entre le ici et le moment suivant. Des fois, nous sommes pure contradiction…

Poème écrit le 29/09/2019, Brasília, DF, Brésil

dire et ne pas dire…

faire et ne pas faire…

dit et ne dit pas…

va et ne va pas…

paraît mas n’est pas…

est mais ne paraît pas…

ce qui est mou et dur…

le fixe et le lâche…

le volatil et le constant…

le dur mou…

le mou dur…

ce qui était… ne l’est plus

symptômes de nous

collective-ment

bahute-ment

sensationnelle-ment

narrations en jeu

nous y allons

et ne savons plus

vers où

des changements en nous

des changements en moi

être et ne pas être… en même temps

https://ana-poesia-poesie.blogspot.com/