José Benedito Vieira

A capital da Áustria, às margens do rio Danúbio (segundo rio mais longo da Europa e constitui a fronteira natural de dez nações, passando por várias capitais), com quase dois milhões de habitantes, é moderna, compacta e com arquitetura que encanta. Frio! Com neve entre dezembro e fevereiro. As estações são bem definidas. Clima temperado continental.

Inúmeras possibilidades de hotéis. Os bairros do Distrito 1 (Innere Staadt) são boas opções para o turista, pois lá estão as principais atrações da cidade, lojas e cafés famosos. Outra boa opção é o Distrito 2 – Leopoldstradt.  Cidade da música. Sigmund Freud e artistas como Mozart, Beethoven, Schubert, Strauss, lá cresceram ou viveram muitos anos.

Viena é merecedora do título de capital da qualidade de vida, permanecendo na primeira colocação pelo oitavo ano consecutivo. O transporte público é considerado um dos melhores do mundo. Uma ótima opção são os ônibus Hop on Hop off para conhecer Viena, permitindo ao turista descer e subir em qualquer ponto de interesse. Disponibilizam fones de ouvido e narração dos pontos turísticos em vários idiomas. O idioma local é o alemão. Sua gastronomia é uma mescla de influência dos países vizinhos.

Sabia que Viena chegou a ser a quinta maior cidade do mundo, depois de Londres, Nova Iorque, Paris e Chicago? Sede de várias organizações internacionais, incluindo o CIV-Centro Internacional de Viena, conhecido como cidade da ONU. É uma cidade repleta de Palácios, praças, jardins, tem forte cultura do café, prédios históricos bem conservados e muita coisa gira em torno do Palácio Hofburg, residência de inverno da família imperial. Foi o centro de poder dos Habsburgos por setecentos anos. O Complexo abriga a Escola de Equitação Espanhola (uma das mais antigas escolas de hipismo e adestramento de cavalos do mundo). Treinamento de cavalos da raça Lipizan ou Lipizzaner de pelugem branca e raramente negra, proveniente de Lipica, na Eslovênia, Museu de História da Arte, Galeria Albertina, Biblioteca Nacional – considerada a biblioteca barroca mais linda do mundo.

 Museu Sissi. Sissi (Elisabeth Amalie Eugenie Isabel, da Baviera, esposa aos 16 anos do seu primo, o imperador Francisco José I, ele com 24 anos. (o imperador que mais reinou no mundo: 68 anos. Nasceu em 18/08/1830 e faleceu em 21/11/1916. Nasceu e morreu no Palácio Schonbrunn, Viena). Sissi tinha exagerada preocupação com o corpo. Pesava 50 quilos, 46 cm de cintura, se chegava a 50 parava de comer e media 1,72m. Teve depressão. Morreu em 10 de setembro de 1898 aos 60 anos, assassinada em Genebra, Suíça. Jamais aceitou as regras e os rigores da corte, criou um estilo de governar. Essa forma virou filme estrelado pela atriz austríaca Romy Schneider. 

A famosa RINGSTRASSE é uma avenida com cerca de 6 quilómetros e 57 m de largura que circula o Distrito 1 (Innere Stadt), o coração da Viena Antiga. Boa parte dos pontos turísticos se encontram dentro desse círculo. Local de fácil acesso de metrô ou tram (Os bondes elétricos). Os vienenses consideram essa avenida como o “boulevard” mais bonito do mundo. Pense num lugar que você não sabe se olha para direita ou à esquerda procurando o lado mais bonito. O Palácio Imperial, a Ópera, o Parlamento e outras atrações estão nessa Avenida.

O Palácio Schonbrunn, residência de verão dos monarcas dos Habsburgos, tem 1441 quartos e salões decorados. Patrimônio da Humanidade pela UNESCO desde 1996. É a Versalhes de Viena. Construído entre 1638 e 1643.

Atenção na hora de comprar o ingresso. Há o Imperial Tour e o Grand Tour. Consiga tempo para visitar o Zoológico de Viena, o mais antigo do mundo, o Gloriete, edifício que abriga um café e onde se pode assistir a um concerto de música clássica que fica no parque palaciano e o Museu da Carruagem. O que acha de um passeio de carruagem? Lamento não ter tido esse tempo. Olhando o Palácio, depois os jardins e, de repente, acabou o tempo. Se possível reserve um dia só para visitá-lo. Vale a pena.

 Ópera Estatal de Viena (Wiener Staatsoper), edifício do séc. XIX e que não agradou os vienenses a princípio, achando a obra simples demais para a importância da cidade da música e do teatro.  É a Ópera mais prolífica do mundo. Você pode durante sua estada visitá-la todos os dias e nunca assistir a uma mesma apresentação. Visita obrigatória no seu tour, mesmo que seja só para contemplar suas instalações. Bela por fora e grandiosa por dentro.  Se não conseguir ingresso, tente assistir uma excelente apresentação (meu caso) no Palais Auersperg, o mais antigo palácio barroco de Viena, construído entre 1706 e 1710. Música, valsa e cálice de vinho para mexer com suas emoções.

Rathaus, é um belo prédio parecido com uma catedral, é a Prefeitura de Viena. Construído no séc. XIX em estilo neogótico. Na praça, nas noites de verão, tem feirinhas com comidas típicas, bebidas e apresentações ao ar livre.

Para os amantes das compras, a Kohlmarkt é a rua mais luxuosa, uma continuação da Graben, principal rua de pedestre.

Aumente seu encantamento indo ao restaurante giratório do Donauturm. A Torre do Danúbio tem um deck de observação a 150 e 170m de altura. Construído em 1964 perto do Rio Danúbio, tem mais de 250m. Apreciar o pôr do sol nesse lugar é sensacional. Imperdível a experiência de pedir um vinho, suco, lanche… ou drink e literalmente sentado, deixar a poltrona , mesa… dar um giro de 360 graus. Terás uma visão panorâmica da cidade, contemplando o rio, belos jardins, colinas, áreas de lazer, etc.

Schloss Belvedere, considerado o palácio mais bonito de Viena, construído a pedido do príncipe Eugênio de Saboia no séc. XVIII para servir de sua moradia de verão. É dividido em Belvedere Superior e Belvedere Inferior e fica mais próximo da área central. No museu se encontra a maior coleção do mundo do pintor austríaco Gustav Klimt. Vale a visita mesmo que seja só por fora. Não sabia dessa divisão dos Belvederes e que ficavam a uns 300m um do outro. Resultado, não vi tudo.

Prater, é um parque de diversões com mais de 250 anos, construído praticamente no centro da cidade, com brinquedos radicais e em especial a Winer Riesenrad, a roda gigante mais antiga do mundo, construída em 1897. Tem 65m e cabines em forma de vagões de trem. Você pode agendar um jantar. Não pense que o parque é só para crianças. Você só paga pelos brinquedos que utilizar.

Parlamento, importante construção neoclássica, cheia de estátuas ao redor, mosaicos nas paredes, grandes colunas gregas. Construído em 1883, ocupando uma área de 13.500 metros quadrados.   Projetado pelo arquiteto Theophil Hansen que foi homenageado pelo imperador Franz Joseph com o título de Barão após sua conclusão.

Uma imponente construção do séc. XII em estilo gótico que sobreviveu aos bombardeios da segunda guerra mundial, merece uma visita. A catedral de Santo Estevão (Stephansdom), situada na Stephansplatz, centro da cidade é conhecida mundialmente. Sua grande torre tem 137m de altura.  Foram utilizados 250.000 azulejos vitrificados no seu telhado super colorido. É um dos símbolos da cidade.  A torre tem 70 metros e proporciona uma vista espetacular para quem tem coragem de encarar os 343 degraus.  É proibido construir edifícios mais alto que a Catedral de Santo Estevão.

Inclua também um jantar musical regado a vinho (Viena produz bons vinhos) em Grinzing, bairro no 19* distrito de Viena, conhecido pelos bosques e vinhedos de suas colinas.  O guia de turismo quis homenagear o grupo e foi perguntar se era possível tocar alguma música brasileira. Toda plateia fez a festa assim que ouviram os acordes de “Cidade Maravilhosa”, “Aquarela do Brasil”.

E com essas lembranças ainda tão nítidas, parece que estou a ouvir o grupo cantando e dançando!

Era a última noite em Viena, despeço-me aguardando vocês no próximo tour.